Saduceus e mitos

Resposta > Categoria: Fé > Saduceus e mitos
Olá José Perguntado 2 anos atrás

Suas mentes os levaram a não aceitar as instruções dos sábios e negar o Toshav'a até certo ponto [não tão bem versado no que exatamente estava lá] 
Não é o princípio que os guiou o princípio que os guia? 
A instrução dos fariseus a respeito dos saduceus é realmente outro sábio erro para sua compreensão?
E por que você é estuprada no Talmud [por algum motivo, que eu não consegui resistir até agora] 
Por que o senso comum nos diz que não há problema em ligar o ar condicionado no sábado ou ferver água para o café 
Contorcendo-me diante do Talmud e dos árbitros, sinto uma espécie de "turbilhão" no que é sim e no que não é, e qual o motivo da diferença
Espero ter me explicado, pois estou realmente envergonhado com o que fui exposto em seus artigos

Deixe um comentário

Respostas 1
mikyab Pessoal respondido 2 anos atrás

Se o princípio que os guiou foi o que me guia, então sou Saduceu e Beitusi. Se você tiver uma pergunta específica, por favor, formule-a aqui e discuta-a em detalhes.

Olá José Respondido há 2 anos

Eu não disse que você é Saduceu,
1. Eu disse que até hoje me parece que tal abordagem é a abordagem dos saduceus, a falta de aceitação de opiniões/leis/autoridade que são passadas de geração em geração pelos moralistas da Torá sem qualquer prova [ tipo o que Hillel disse para Ger que queria estudar Magia]
2. Parece-me que você é ortodoxo no sentido haláchico, e assim por diante

E como podemos cortar com uma faca afiada o que aceitar na tradição e o que não

Em suma, a maneira como você corta a primeira autoridade no Texto Massorético, então os saduceus cortam os fariseus no Texto Massorético
E como sabemos que os fariseus estavam certos?
Temos provas da justiça dos fariseus ou apenas jogamos?

ק Respondido há 2 anos

Kamilta Debdihuta deve editar sua entrada na Wikipedia e afirmar que você atesta o fato de que pode ser Sadducee e Beitusi.
AP que estava discutindo na época com um certo rabino sobre Rabi Shlita, e acho que ele argumentou comigo que, desde que você diga que não há autoridade em questões de pensamento para a linhagem de gerações, mesmo que você tenha alcançado todos treze princípios você mesmo não há nada nele. Porque uma parte considerável da ideia dos treze princípios é tradição. E entenda que os outros não são menos inteligentes que eu...

Olá José Respondido há 2 anos

Eu não discuto nem a tradição nem o rabino, não estou ocupado distribuindo notas, estou ocupado com definições
Eu tento entender a diferença [se houver] entre sua abordagem e a abordagem dos saduceus [da escassez de informações que tenho sobre eles]
É algo que está ganhando verdade e faz parte da transmissão da Torá por gerações entre os moralistas da Torá [e não estamos lidando com fatos científicos é claro] me obrigando, ou não, existe tal autoridade "formal" criada por os moralistas da Torá ao longo das gerações
Eu me pergunto como posso realmente aceitar até mesmo a Torá escrita, uma vez que também foi dada por aqueles a quem eu não aceito sua autoridade

mikyab Pessoal Respondido há 2 anos

Eu não disse que você disse que eu era um saduceu. O que eu disse é que o debate sobre se sou ou não um saduceu não é importante para mim. A questão é o que é certo e não o que o título merece.
O que é entregue em uma mensagem do Sinai ou de uma instituição qualificada (Sinédrio) é válido, e todo o resto, mesmo que entregue em uma tradição, não é válido. Muito simples. Nem sempre é simples o que veio do Sinai ou de uma instituição qualificada e o que não veio, mas é uma discussão que precisa ser travada em cada questão por seus próprios méritos.
De fato, não há autoridade para o que é criado em virtude da tradição das gerações. Definitivamente não. Tem algum peso, e existem leis alfandegárias. é isso. Somente Deus ou uma instituição qualificada tem autoridade. Aliás, essa não é minha novidade. Esta é a regra acordada pela maioria dos árbitros. Mas, ocasionalmente, eles tendem a ignorá-lo.

Você e K. (e também o rabino que ele cita) simplesmente não entendem minha afirmação. Minha alegação é que conceitualmente não há autoridade sobre questões factuais. Quanto aos fatos, e não importa se são científicos ou não (até a vinda do Messias ou providência privada é um fato) o que é possível é me convencer de que isso é a verdade e não reclamar contra mim uma autoridade comprovada. Pois se eu não estava convencido, de que me adianta ser dito que tal posição é uma heresia?! é isso. Muito simples e claro, e quem discorda disso está apenas confuso.

Olá José Respondido há 2 anos

Parece-me que entendi bem isso, então perguntei
Vou explicar com mais detalhes, como há antes de você uma estatística que você obtenha como correta? Por exemplo, a ordem de oração
Você não confia naqueles que não têm autoridade?

Michi Respondido há 2 anos

Falei sobre fatos. Há um diálogo de surdos aqui

Olá José Respondido há 2 anos

Quando você diz fatos, você quer dizer evidências?
Ou seja, você aceita o que é dado como testemunho, mas não aceita o que é dado como "auto-opinião"?
Foi assim que eu entendi de qualquer maneira

E aqui estou envergonhado

Todos os sermões dos sábios dos versos não são testemunhos, mas "auto-opinião", ostensivamente

E se se diz que Chazal é uma autoridade, é Manlan, não é uma auto-opinião dos moralistas da Torá desde então até hoje?

mikyab Pessoal Respondido há 2 anos

Sugiro que terminemos aqui. Você dificulta quando não sabe do que se trata.
Se há algo específico que eu escrevi e parece que você não entendeu, por favor escreva claramente (incluindo uma fonte) e podemos discutir. Peço sem declarações gerais sobre meu método que é óbvio que você não o conhece.

Deixe um comentário